Cineasta amazonense lança livros e filme em Goiânia

A escritora e cineasta amazonense Regina Melo lança na quinta-feira (16 de junho), em Goiânia, dois romances, Ykamiabas – Filhas da Lua, Mulheres da Terra e Oceano Primeiro – Mar de Leite, Rio da Criação. Para a noite de autógrafos, no Evoé Café, também está programada, às 20 horas, a exibição do média-metragem Os Anseios das Cunhãs, produção contemplada no Prêmio Carmen Santos Cinema de Mulheres (2013).

Os Anseios das Cunhãs narra de forma poética a migração das mulheres de várias regiões da Amazônia que se mudam para a capital da Zona Franca em busca de dias melhores. Apresentado na Mostra de Cinema de Mulheres 2016, realizada pelo Minc, em Brasília, o média-metragem é inspirado no poema Os Anseios das Cunhãs, de autoria da própria diretora, que também assina o roteiro e a produção do filme.

“O poema foi escrito nos anos 80 para retratar a migração das mulheres interioranas para a cidade de Manaus, em busca de trabalho e novas formas de vida. Estimuladas pela promessa de dias melhores na capital Manaus, elas deixam suas cidades e chegam à capital da Zona Franca cheias de sonhos e expectativas, mas lá encontram o ambiente hostil e machista que lhes empurra para as ruas, onde passam a viver como trabalhadoras do sexo”, explica Regina Melo.

Em 2005, o poema recebeu uma versão em forma de História em Quadrinhos (HQ) e ganhou o Prêmio Governo do Estado do Amazonas como melhor roteiro. “Já existia a ideia de levá-lo para o cinema, num primeiro momento, como animação. Porém, em 2013, surgiu a oportunidade de participar do Prêmio Carmen Santos Cinema de Mulheres, com um projeto para um curta-metragem, na versão 5 minutos, e resolvemos apostar: deu certo!”, comemora a diretora. A primeira versão do filme é de 5 minutos, mas na sessão de Goiânia será exibida uma outra versão, com 20 minutos de duração.

e-cêntrica
Aproveitando a passagem de Regina Melo por Goiás, a Nega Lilu Editora apresenta à autora o projeto e-cêntrica, uma iniciativa da Casa da Cultura Digital (GO), que busca alternativas de circulação da produção gráfica e literária brasileira. “O contato com escritores e agentes culturais de todas as regiões do País é fundamental para a formação desta rede e para a articulação entre pares que serão protagonistas deste trabalho, que visa amenizar a invisibilidade histórica do trabalho realizado no norte, nordeste e centro-oeste do Brasil”, ressalta Larissa Mundim, diretora da Nega Lilu Editora.

O lançamento nacional da e-cêntrica será realizado no dia 17 de junho, na Feira DENTE, em Brasília, durante a mesa “Desafios das pequenas editoras”, com a participação da coordenadora da e-cêntrica, Larissa Mundim (Nega Lilu Editora), Themis Lima (Editora Tribo), Mayara Neris (Lote 42), Manon Bourgeade & Pedro Lima (Pipoca Press), com mediação de Taís Koshino (Selo Piqui).

Além da Feira DENTE, para este projeto, a Casa da Cultura Digital também conta com os seguintes parceiros: Nega Lilu Editora, Culturama, zeroum comunicação, Diminuto, Lei Goyazes, agentes estratégicos envolvidos com qualificação profissional, produção gráfica e literária, formação de leitores, comunicação e novas tecnologias.

Comentar

Comentários (1)

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será revelado. Os campos obrigatórios estão marcados com *