Foto: Larissa Mundim

Coletivo e/ou inicia novo ciclo de trabalho com mais 50 integrantes

Autoras e autores selecionados no edital da Coleção e/ou assinaram, ontem, em reunião geral, no Culturama, o Termo de Parceria com a Nega Lilu Editora para publicação de antologias de poesia e prosa. O grupo de 50 pessoas passa a integrar o Coletivo e/ou, com participação em ações de qualificação para escritores, estímulo à leitura e circulação da produção gráfico-literária, além de intervenções urbanas.

No terceiro processo seletivo conduzido pela editora goiana, 27 contos e crônicas e 45 poemas escritos por 50 autoras e autores foram classificados. Durante a reunião, a Comissão de Seleção do edital 2016 apresentou análise geral acerca dos 323 textos inscritos, 26% a mais do que nos dois concursos anteriormente realizados pela editora.

O professor Wigvan Pereira comentou que considera “um privilégio o acesso ao conteúdo inédito que busca publicação”. Para autoras e autores que não foram contemplados neste processo seletivo, ele recomendou persistência: “Não criamos para sermos aprovados, mas porque não saberíamos viver de outra forma. Uma reprovação em um edital ou uma crítica não são mais importantes do que aquilo que queremos nos tornar”.

Já o poeta e compositor Carlos Brandão, destacou a relevância do mapeamento de uma nova safra de poetas goianos revelada pelo edital. “Sempre estou atento aos novos artistas que estão surgindo, seja na música ou na literatura, e reconheço que a qualidade dos textos vem aumentando a cada ano”, avalia ele, que também integrou a Comissão de Seleção do edital 2014, quando o conteúdo da primeira antologia poética da Coleção e/ou foi garimpado.

Antes de apresentar a Nega Lilu Editora e agenda de trabalho aos novos integrantes do coletivo, a escritora Larissa Mundim ressaltou que a diversidade de temas e estilos é uma das riquezas do volume dois das antologias da Coleção e/ou. “Nota-se pela soltura da poesia, descomprometida com a rima, e pela complexidade e obscuridade exploradas na prosa”, completa.

A reunião geral também trouxe esclarecimentos acerca do processo de editoração das coletâneas de poesia e prosa, que está condicionado à captação de recursos financeiros por meio de mecanismos de incentivo à Cultura. Os dois livros já lançados pela Coleção e/ou (Os olhos do bilheteiro e As dores de Josefa) receberam apoio pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura, que terá edital aberto no primeiro semestre deste ano.

Comentar

Comentários (0)

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será revelado. Os campos obrigatórios estão marcados com *