Fotolivro “gynsualinda” desperta afeto e desejo de ocupação da Cidade

Com a câmera do celular, primeiro Wellington Martins registrou imagens no percurso entre casa e trabalho, trabalho e casa. Em seguida, revisitou o Centro da cidade, sobrepondo a memória de infância e a emoção do encontro com o presente. Durante a pandemia da Covid-19, sem a habitual ocupação de pessoas e de carros, também passou a apreciar a paisagem da periferia de Goiânia. Assim nasceu o desejo de publicação do fotolivro gynsualinda, que será lançado no sábado (18/12), às 16h30, na Livraria O Jardim (Rua 132-A, 94, Setor Sul).

 

A fotografia é, para Wellington Martins, a linguagem artística responsável pela redescoberta afetiva de Goiânia. Mas ele não costuma se intitular um fotógrafo, pois tem interesse maior pelo prazer de se perder pela cidade em busca de olhares novos e inusitados sobre a paisagem já conhecida ─ ou ainda por conhecer ─ do que pela atividade do fotógrafo em si, com todo seu aparato técnico. As derivas pela capital goiana começaram em 2018, quando o autor criou o perfil @gynsualinda no Instagram.

 

Conforme definido pela curadoria, assinada pela artista visual e ilustradora Patrícia Ferreira (patworkpat), as imagens destinadas à publicação não foram selecionadas por tema ou gênero, mas tem “uma estrutura fluida, como as andanças do flâneur que se perde pelos caminhos”. Dentre centenas de fotos capturadas nos dois primeiros anos do projeto, gynsualinda também não é um livro de registros dos pontos históricos e turísticos de Goiânia.

Narrativa inusitada a partir do diálogo dos monumentos instalados na Praça Cívica. Foto: Wellington Martins

“Quando comecei a fotografar, meu olhar estava mais atento às variações possíveis das mesmas imagens encontradas na minha rotina, por isso, não falta a Praça Cívica e a Antiga Estação Ferroviária de Goiânia no livro”, comenta Wellington Martins. Mas com o passar do tempo, para o autor, o acervo fotográfico ─ ainda em construção ─ foi se definindo como “afetivo”.

 

O fotolivro lançado pelo Selo SemiBreve evidencia um olhar carinhoso por lugares que nos são roubados pela urgência dos dias, como a Avenida Goiás, Rua do Lazer, Rua 3, Avenida Anhanguera. Por volta dos anos 1970, quando criança, morou nas imediações do Centro e fazia longas caminhadas com seu pai. “Assim, sua visão, hoje, é resultado da colisão entre um sentimento de nostalgia, do passado, e a feliz descoberta das novas configurações da Goiânia, do presente”, reflete Patrícia Ferreira no texto de apresentação de gynsualinda.

Foto: Wellington Martins @gynsualinda

Wellington conta que, com o isolamento social causado pela pandemia da Covid-19, passou a se afastar de sua rota comum e a descobrir novas paisagens em regiões da periferia. “A fotografia é responsável pela construção da minha relação com a cidade de forma mais ampla, fora da região central”, revela. O projeto @gynsualinda o levou até a pista de skate do Novo Horizonte, o Parque Fiúca (Residencial Olinda), ao Parque da Lagoa (Parque Industrial João Braz), entre tantos outros setores considerados periféricos na capital.

 

“Acredito que este fotolivro possa estimular a ocupação da cidade e o desejo de transformá-la em um lugar melhor para todos, no centro e nas margens”, comenta a editora Larissa Mundim, responsável pelas narrativas visuais contidas no fotolivro. A equipe editorial é também formada pela designer gráfico Bia Menezes e pela revisora Rosângela Chaves.

 

As curiosidades sobre as derivas fotográficas e sobre os registros que compõem gynsualinda, o autor vai compartilhar em bate-papo também programado para o sábado (18/12), a partir das 16h30, nO Jardim Livraria, que compartilha espaço com a Livraria Pomar, no Setor Sul. O autor costuma dizer que a câmera do celular o ensina a ver melhor. Ele também enfatiza que aprende muito ao observar o trabalho de outros fotógrafos e espera que gynsualinda possa interferir positivamente no modo como as pessoas veem Goiânia.

Foto: Wellington Martins @gynsualinda

O fotolivro gynsualinda pode ser adquirido na Livraria O Jardim e na Livraria Palavrear, em Goiânia. O lançamento também já está disponível na Livraria Leodegária, na Cidade de Goiás. Leitores e leitoras de todo o Brasil podem adquirir exemplares pelo perfil @gynsualinda no Instagram e pelo site da NegaLilu Editora: www.negalilu.com.br .

 

Sobre o autor

Wellington Martins é professor do Instituto de Informática da UFG. Sua formação  permite-lhe explorar a criatividade em um nível intelectual abstrato, com a criação de algoritmos e outros objetos imaginários, que mais tarde são transformados em programas de computador. Foi com a popularização do computador, na sua forma compacta (celular), que passou a explorar a beleza estética das imagens, colocando em prática sua criatividade em nível visual. Nos últimos anos, participou de exposições, mostras fotográficas, rodas de conversa, e também teve suas fotos divulgadas em portais de Goiânia e de outras partes do Brasil.

 

 

SERVIÇO

Lançamento do fotolivro gynsualinda

16 de dezembro (sábado), às 16h30

O Jardim Livraria (Rua 132-A, 94, Setor Sul)

Entrada franca, uso obrigatório de máscara de proteção.

Comentar

Comentários (0)

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será revelado. Os campos obrigatórios estão marcados com *