Foto: Lu Barcelos/ Chocolate Fotografias

A poeta Dairan Lima lança seu segundo livro na Livraria O Jardim

Em seu segundo livro, Dairan Lima consolida um mantra, que oferece a leitoras e leitores acesso a percepções líricas sobre o corpo, o tempo, o espaço, a memória do amor, a paixão como processo inflamatório. Com apoio da Lei Aldir Blanc, por meio da Secult Goiás, “brinquedo quebrado” será lançado pela negalilu editora (Selo Pantheon), na quinta (2/6), às 19 horas, na Livraria O Jardim (Rua 132-A, 94, Setor Sul, Goiânia), com discotecagem de Alexandre Perini.

Ao longo dos 47 poemas publicados, “brinquedo quebrado” traz relato autobiográfico e compartilha observação peculiar de mundo, com uma pitada de fantasia. O “monstro da corrente”, “a estátua de sal” ou “à cobra encantada” são algumas das metáforas que vão costurando curtas narrativas afetivas e revelando o cotidiano de uma mulher aberta para a vida e para as paixões.

Quem se envolver na leitura também vai encontrar a presença do nome “Domicília”, a falecida mãe de Dairan. Citada na epígrafe e em outros momentos, sua fala ácida apropriada pela filha de maneira poética, revela a humanidade da poeta-personagem, incoerente e adorável.

“Eu me considero poeta desde que me entendo por gente”, conta Dairan Lima, natural de Dueré (TO) e residente em Goiânia há mais de 40 anos. “A cidade que meu coração escolheu”, diz ela. Aluna do Curso de Letras da UFG, na década de 1980, foi leitora assídua de Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, Hilda Hilst e Adélia Prado. Integra o Coletivo e/ou de autores publicados pela Coleção e/ou, que promove saraus, lançamentos literários, bate-papos e oficinas literárias.

Foto: Lu Barcelos/ Chocolate Fotografias

Em “brinquedo quebrado”, sua biografia com ficção é escrita pela também poeta Cássia Fernandes, que evidencia a capacidade da autora de contar histórias. “Muitas vezes, durante alguma tarefa doméstica, o poema chega pronto”, revela a professora aposentada de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira.

Dessa forma, o retrato na parede, a gaveta fechada, o cortejado jovem artesão, as amigas fumantes vão ocupando o território lírico que já se apresentava a leitoras e leitores em “Vermelho”, primeira publicação da autora, esgotada no início de 2022. “Este livro chega em boa hora, as pessoas já estavam pedindo novos versos. Porque Dairan Lima é do tipo de autora que não tem somente leitores e leitoras, ela tem fãs.”, comenta a editora Larissa Mundim.

“brinquedo quebrado” tem a capa ilustrada pela artista visual Emilia Simon. Toda a equipe técnica é formada por mulheres: Rosângela Chaves (revisão), Bia Menezes (design gráfico) e Larissa Mundim, responsável pela coordenação editorial, edição e produção gráfica. O livro conta também com a colaboração da poeta Alda Alexandre, autora do prefácio.

 

SERVIÇO

Lançamento: “brinquedo quebrado”

2 de junho 2022 – 19 horas, Livraria O Jardim (Rua 132-A, 32, Setor Sul, Goiânia)

R$ 30,00

Comentar

Comentários (0)

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será revelado. Os campos obrigatórios estão marcados com *